A encenação de virtude de Taís Araújo não merece mudança de calçada, mas de canal

14
776

A Internet está indignada – e com razão – diante da bizarra tentativa de virtue signalling (encenação de virtude) da atriz Taís Araújo.

Ela disse: “No Brasil, a cor do meu filho é a cor que faz com que as pessoas mudem de calçada, escondam suas bolsas e que blindem seus carros. A vida dele só não vai ser mais difícil do que a da minha filha”.

Para início de conversa, Taís Araújo pertence à classe dos artistas milionários que vivem blindando seus carros.

E detalhe: dificilmente o filho dela anda em calçadas. No máximo no gramado de condomínios de luxo.

Se o racismo é algo repugnante e segue presente pelo Brasil, o mesmo dificilmente é visto na vida da atriz, que vive como privilegiada. Todos abrem as portas para Taís Araújo e seu marido.

Luiz Marcondes escreve: “Filhos da Taís Araújo atravessam pro outro lado quando veem a mãe na rua pois não querem passar vergonha”.

A atitude de Taís é cínica e arrogante. É algo tão desrespeitoso às minorias que o justo é mudar de canal na hora em que ela aparecer a fim de nos livrarmos de tanto cinismo e demagogia.

Anúncios

14 COMMENTS

  1. Estadão: ‘FHC diz ter medo e que há ‘pessoas da direita que são perigosas’
    Parece piada mas não é. O FHC mostra que domina as técnicas de terrorismo psicológico. A direita é perigosa, logo a esquerda não é. A esquerda já tentou de tudo desde assassinatos em massa que começou na Russia em 1917, passou por Lenin e Stalin, chegou a Cuba e se instalou na Venezuela como um furacão perdendo força. Tentaram destruír a família e a religião com a ideologia de gênero, o aborto e a liberação de drogas. O ecoterrorismo serviu para arrecadar bilhões dos próprios governos para sustentar e mobilizar as forças comunistas para combater o capitalismo ao redor do mundo. Mas as pessoas de direita são muito perigosas…
    Só uma pessoa muito desligada pode levar a serio o FHC ou gente como Camila Pitanga.

  2. Bem eu acho que tem alguma coisa errada aí nessa história, pois se ela está a pé deve ser no condomínio de luxo que ela mora e se alguém atravessa a rua deve ser um ricão que mora no mesmo condomínio, pois nas ruas mesmo ela vai de carro com talvez motorista e seguranças

  3. Acho utopia acreditar que uma mulher negra não sofre preconceito só porque faz parte da elite. Polemizar da ibope, não é mesmo. Ela disse que A COR DO FILHO DELA, faz com que as pessoas tenham atitudes preconceituosas. E sim isso é fato. Meu sonho é que um dia o preconceito acabe e não seja mais preciso tocar nesse assunto.

  4. O ofício do ator é transmitir ao público uma realidade que não é a sua realidade. O Rubens Correia não precisou se tornar psicopata para interpretar “O diário de um louco”. Nem José de Abreu, Fernanda Montenegro ou Taís Araújo mudaram suas personalidades para interpretar os papéis ao longo de suas carreiras. Mas com toda certeza estudaram , se dedicaram, acertaram e erraram muito para aprender e chegar onde chegaram na sua profissão. Por que então acham que por serem excelentes no seu ofício, podem opinar sobre política, sem conhecimentos básicos sobre o assunto? Não se trata de Fla-Flu. Como qualquer cidadão, não devem se alienar politicamente, mas para pretender influir na opinião pública precisam estudar e ter certeza da sua responsabilidade, da mesma forma que um médico quando receita um remédio de terja preta, que poderá fazer bem ou mal ao paciente.

  5. Ufa, como essa moça fala besteira. Será que ela ainda se encontra em estado de choque porque sua filhinha gosta da cor rosa? ou – quiçá – já ensinou a menininha a fazer xixi em pé.

Deixe uma resposta