Parece que pegou mal a afirmação de Paulo Guedes sobre dar uma “prensa” no Congresso

O G1 mostra que não pegou muito bem a afirmação de Paulo Guedes sobre como aumentar a possibilidade de votar a reforma da previdência ainda neste ano, antes de o novo governo assumir. Guedes disse: “A bola está com eles. Prensa neles!”. Antes, o futuro ministro fez um apelo: “Por favor, classe política, nos ajude a aprovar a [reforma da] Previdência. Previdência, previdência, nos ajude a fazer isso”.

Conforme a Folha, a declaração não soou bem entre parlamentares. “O que tem que apelar é para o espírito público daqueles que ainda estão com mandato. Prensa, não. Acho que ele se expressou mal”, afirmou o deputado federal Pauderney Avelino (DEM).

“Acho muito difícil, com prensa ou sem prensa. Não é assim que se resolvem as coisas na relação entre o Executivo e o Congresso. Talvez a falta de experiência na vida política, na relação com o Congresso faça com que ele pense assim”, afirmou o senador Tasso Jereissati (PSDB).

Diante da repercussão negativa, Jair Bolsonaro disse, nesta quarta, que a falta de “vivência política” e de “experiência” levou o futuro ministro a pedir a tal “prensa” no Congresso. Para o presidente eleito, a palavra não é “prensa”, mas “convencimento”.

“Não tem prensa, né? O que acontece com alguns do meu lado é que não têm a vivência política. Eu, apesar de ter, levo quantas vezes, levo cascudo de vocês? Imagina quem não tem essa experiência? A palavra não é prensa, é convencimento”, declarou.

“Ele usou – no meu entender bem intencionado – a palavra prensa. Alguns podem querer interpretar de forma equivocada e querer levar para o outro lado. Ninguém vai pressionar o parlamentar. Nós vamos é convencê-lo”, declarou Jair.

Também acho que Guedes foi bem intencionado, mas inexperiente. E assim vamos vendo que o estilo de “tratorar” tudo que vier pela frente pode ter que ser amenizado via pressão. Em termos democráticos, isso é positivo.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: