Bachelet desinforma ao dizer na ONU que eleição brasileira foi afetada por “desinformação”

Foto: Javier Torres/Aton Chile

Conforme o Estadão, a alta comissária de Direitos Humanos da ONU, Michelle Bachelet, mencionou o Brasil nesta quarta-feira, 14, em Genebra, para exemplificar como a “desinformação” influenciou nas eleições presidenciais.

“Em alguns países, um volume amplo de dados está sendo coletado por meio de monitoramento, e são usados para determinar pontuações pessoais ou negando acesso às oportunidades”, alertou Bachelet.

“Essa relação entre inteligência artificial e a coleta de dados sobre nossas personalidades e escolhas vão um passo além quando são usadas, por atores públicos ou privados, para manipular nossos pensamentos e mudar nossas escolhas”, alertou.

“Isso não é ficção científica”, disse. “Seja na eleição presidencial dos EUA, no referendo sobre o Brexit no Reino Unido ou nas recentes eleições no Brasil e Quênia, onde pesquisas falsas e desinformação foram amplamente compartilhadas, estamos vendo um aumento do uso de campanhas de desinformação e robôs nas redes sociais para influenciar opiniões e escolhas de eleitores individuais”, alertou.

Bem, é claro que o que não faltou nesta eleição foi fake news. Mas elas vieram de ambos os lados e normalmente não vinham das campanhas, mas das militâncias virtuais.

Seja lá como for, até o PT foi pego numa baita mentira, ao citar o depoimento falso do cantor Geraldo Azevedo, que acusava Mourão de torturador. Mas isso era impossível, pois Mourão só tinha 16 anos na época da citação.

Como se nota, Bachelet não comprovou que a tal “desinformação” tenha afetado tanto os resultados.

Porém, ela omitiu em seu discurso que sempre foi uma bolivariana, defensora do socialismo mais radical e chegou a defender publicamente Lula e Dilma, ficando contra o impeachment e a prisão do ex-presidente.

Sendo assim, suas declarações na ONU não passam de choro de perdedor. E ela desinformou o público ao omitir seus interesses.

1 comentário em Bachelet desinforma ao dizer na ONU que eleição brasileira foi afetada por “desinformação”

  1. Bachelet representa nesse artigo o inconformismo socialista ao perderem o poder em processos democráticos. Desespero com a opção das maiorias por reafirmação do compromisso com a família tradicional, com a Pátria, com o Cristianismo e com valores como honra (defenestrado pelos esquerdopatas), moral e ética.
    O resto é mimimi…

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: