Dilma devia pedir desculpas mas reclama do retorno dos médicos a Cuba

No Diário do Centro do Mundo (blog petista), lemos um texto monstruoso de Dilma Rousseff, intitulado “Política externa de saúde feita por Twitter ameaça extinguir o programa Mais Médicos”.

Segundo a ex-presidente, o fim do convênio com a ditadura Cubana “ignora a dimensão diplomática que cerca a relação entre países. Em especial, ofende a exigência de respeito aos convênios legalmente firmados, bem como à civilidade necessária aos acordos de cooperação entre nações”.

Ela fala de civilidade ao mencionar uma ditadura que escraviza seu povo. Aliás, a tal “dimensão diplomática que cerca a relação entre” Brasil e Cuba, na era PT, vai ser esmiuçada quando for aberta a caixa preta do BNDEs.

Mas a parte mais vergonhosa é essa: “Para nossa gente mais humilde, a extinção do programa será uma perda irreparável a curto e médio prazos. Criado durante o meu governo, ofereceu até 2016 atendimento médico a 63 milhões de brasileiros e brasileiras, muitos dos quais jamais haviam tido acesso a um profissional de saúde. Na verdade, 700 munícipios do país não tinham um médico sequer para atender à população local”.

Espere aí. Dilma Rousseff estava terminando seu primeiro mandato, dando sequência a dois mandatos de Lula, seu padrinho político. Então ela devia estar pedindo desculpas por ter dependido da aquisição de médicos escravos para “resolver” o problema.

Sempre em débito com a realidade, Dilma diz que “a decisão do presidente eleito foi unilateral e desrespeitosa”, mas o presidente eleito não definiu nenhum encerramento de acordo. Ele propôs condições novas em relação à rejeição aos paradigmas de totalitarismo e escravidão impostos por Cuba. Já não estamos sob o domínio petista há quase 1 ano e meio.

Mais pérolas aqui: “Sem dúvida, a exigência de submeter os médicos estrangeiros a um exame no Brasil só poderia ser vista como um gesto depreciativo, xenófobo e arrogante, cometido contra os profissionais de saúde de países estrangeiros. Mesmo porque o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação supervisionavam o trabalho de todos os médicos e faziam avaliações de desempenho”.

Se ela diz que os cubanos não podem se submeter aos mesmos critérios dos mesmos do Brasil e de outras partes do mundo, então ela é que está sendo preconceituosa e xenófoba, ao diminuir os profissionais de um país em específico. Ela está implicitamente agindo como se os cubanos fossem menos capazes do que os outros.

“A população brasileira foi beneficiada pela generosa competência dos médicos cubanos, a quem o governo do Brasil devia reconhecer sua fraterna solidariedade. A eles rendo minha homenagem e meu agradecimento. O trabalho destes profissionais dedicados e generosos fará falta aos brasileiros”, conclui Dilma.

Bem, se eles foram generosos, então poderiam assinar contratos diretos, não? No fundo, Dilma visa esconder a monstruosidade de seu governo contra a Saúde brasileira e o alinhamento a um sistema escravagista, inaceitável no século 21.

Dilma não fará isso, é claro, mas a única posição aceitável de alguém como ela seria um pedido de desculpas.

Twitter: https://twitter.com/lucianoayan

Facebook: https://www.facebook.com/ceticismopoliticosc/

2 comentários em Dilma devia pedir desculpas mas reclama do retorno dos médicos a Cuba

  1. Definitivamente, algumas pessoas nem deviam ter nascido. Dilma, José Genoino, José Dirceu, Lula e toda a “excrescência” deles derivada são exemplos clássicos.

  2. Bom que o Ceticismo Político está de volta.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: