Após fim do imposto sindical, CUT vende prédio, demite e afunda em sua maior crise

Em matéria da Época, lemos: “para fazer dinheiro, a entidade — a maior das centrais sindicais, braço político do petismo agora derrotado — sairá do prédio próprio no bairro do Brás, em São Paulo, sua sede há 23 anos, para um endereço no centro antigo da cidade. No fim de julho, a Executiva da CUT aprovou a venda do local. Avaliado em R$ 40 milhões, o imóvel com sete andares está sendo negociado com a Igreja Mundial do Poder de Deus, que ocupa um quarteirão inteiro do outro lado da rua. O negócio ainda não foi fechado, mas Freitas já decidiu pela saída do Brás, o berço do sindicalismo paulista. O fim da contribuição sindical obrigatória, levado a cabo pela reforma trabalhista do governo Michel Temer, levou a CUT à bancarrota”.

Ainda no texto, lemos que “entre janeiro a agosto de 2017, antes da reforma trabalhista de Temer, a CUT havia recebido R$ 54 milhões a título de repasse de contribuição sindical. No mesmo período deste ano, foram apenas R$ 2,5 milhões. Embora não se sustente apenas por esse imposto, a entidade sofreu o baque”.

As mensalidades também reduziram. Vagner Freitas, presidente da CUT, diz que isso se de também às demissões e pela simples ausência de empregos formais. Mas o argumento não convence.

No começo deste ano, Freitas demitiu: “com um Plano de Desligamento Incentivado, a CUT demitiu 65 pessoas, cerca de 45% do quadro de pessoal. Quem se inscreveu no plano recebeu entre 80% e 100% do salário por ano trabalhado, mais extensão do plano de saúde por três a seis meses e os demais benefícios previstos em lei”.

“A CUT não tem capital financeiro para viver de rentismo, não é indústria para fabricar coisas e vender, não tem herança. Acabou o recurso, você precisa se adaptar, não tem jeito”, disse.

O que notamos claramente é que o fim do imposto sindical abriu um novo paradigma, que não é nada bom para a CUT. A entidade está em situação complicada.

Twitter: https://twitter.com/lucianoayan

Facebook: https://www.facebook.com/ceticismopoliticosc/

9 comentários em Após fim do imposto sindical, CUT vende prédio, demite e afunda em sua maior crise

  1. Vão trabalhar como o resto do Brasil. Chega de vadiagem !!!

  2. É só ir trabalhar vagabundos!!

  3. Rosangela Caetano Goulart // 21 de novembro de 2018 às 9:22 pm // Responder

    Vai trabalhar bando de vagabundos! Chega de roubar quem trabalha de verdade seus ordinários, cambada de sem vergonhas.

  4. Todos os paises ditos `primeiro mundo` tem uma central sindical forte e atuante, como por exemplo a Alemanha. A sindrome do vira lata faz com que o ze povinho daqui tenha visao miupe doque representa o movimento sindical, mas agora em dezembro vai receber se decimo terceiro, que eh fruto de luta trabalhista….Deveriam abrir mao!!!!

    • Só esqueceu de dizer não existe essa aberração varguista de imposto sindical na Alemanha nem em qualquer outro país do mundo. Logo essa sua insinuação de que para ter sindicatos fortes é preciso assaltar o bolso do trabalhador é mentirosa e vigarista.

  5. Eduardo Cândido de Oliveira // 22 de novembro de 2018 às 12:55 am // Responder

    Vão trabalhar pilantras! É fácil ficar rico tirando do trabalhador! Quero ver acordar cedo, trabalhar o dia todo, e no final do mês receber mil reais ou menos se dá pra ter as mordomias que esses vagabundos que trabalham em sindicatos tem.

  6. “todos os países ditos primeiro mundo” . Essa é boa seu petista idiota. Veja se os trabalhadores são obrigados a se sindicalizar. Veja se eles usam o governo como cobrador desse imposto infame. Veja se eles, sindicalistas são obrigados a contribuir. Hoje o povo através da internet tem informação instantânea sobre qualquer assunto. Você não sabe disso seu analfabeto???????

  7. “(…)o imóvel com sete andares está sendo negociado com a Igreja Mundial do Poder de Deus(…)”

    Comédia divina! kkkkkkkk

  8. Nenhum "jornal" informou que ....... // 24 de novembro de 2018 às 8:40 pm // Responder

    A pessoa que morreu afogada no centro de São Bernardo do Campo, estava em frente ao museu (sindicato) do trabalhador (lula). https://www.youtube.com/watch?v=FCCzd5X1O0E

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: