Decisão unilateral da ditadura faz 1307 médicos retornarem à ilha do horror

Imagem: REUTERS/Adriano Machado

Conforme a Veja, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) informou na manhã desta terça-feira (27) que 1.307 médicos cubanos deixaram o país desde a última sexta (23).

Foram sete vôos fretados pela ditadura cubana, nos quais os médicos foram enviados rumo à ilha desde que o acordo de colaboração para o Mais Médicos foi rompido de forma unilateral, pois o objetivo era regularizar a situação dos médicos.

Desde 2013, os médicos atuavam de maneira forçada no Brasil, em 722 municípios do país 16 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI) . Eles estavam concentrados em Unidas Básicas de Saúde supostamente para atender as populações mais vulneráveis.

Com a quebra unilateral do acordo, 8.300 profissionais cubanos deixarão o Brasil. Espera-se que os médicos sejam todos reenviados à Cuba até o dia 12 de dezembro.

Eles voltarão para um regime de horror e escravidão. Não tiveram sequer a chance de escolherem. Não há limites para a desumanidade da ditadura cubana.

Twitter: https://twitter.com/lucianoayan

Facebook: https://www.facebook.com/ceticismopoliticosc/

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: