Anúncios

Mídia quer equilibrar forças no caso envolvendo ex-assessor

De acordo com matéria do Globo, foi localizada a casa onde vive o ex-motorista do então deputado e agora senador eleito Flávio Bolsonaro. A casa se localiza em Taquara, na zona Oeste do Rio de Janeiro. É uma casa bem simples.

A matéria diz: “Na viela onde Queiroz mora com a mulher, Márcia Aguiar, os imóveis são colados uns aos outros. No beco há varais improvisados do lado de fora das casas, fios emaranhados e canos aparentes. Na casa de Queiroz, um adesivo rasgado com as fotos do presidente eleito Jair Bolsonaro e de seu filho Carlos, vereador no Rio, está colado na fachada. No segundo andar, que tem a laje sem revestimento, tapetes secavam no parapeito ainda sem janela. No portão que dá acesso ao conjunto de aproximadamente 70 casas, distribuídas em uma rua mais larga e vielas, há um aviso de que a área é monitorada 24 horas”.

O caso

Ao investigar assessores da Alerj para a Operação Furna da Onça, a COAF disse, em relatório,que Fabrício Queiroz apresentou movimentações “atípicas” em sua conta bancária.O relatório diz que Queiroz recebeu depósitos de outros oito funcionários e ex-funcionários de Flávio Bolsonaro.

A mulher e duas filhas de Queiroz trabalharam para a família Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio e no Congresso Nacional.

Chamou a atenção do COAF uma sequência de saques em dinheiro feitas por Queiroz entre 23 de janeiro e 15 de março de 2017: R$ 49 mil, em 9 saques de R$ 5 mil e um de R$ 4 mil.

Foram dois saques por dia. Isso está levantando a suspeita de que Queiroz poderia ter tido a intenção de fracionar as retiradas, com o objetivo de não chamar a atenção das autoridades.

Apoiadores de Bolsonaro dizem que Queiroz terá de explicar a origem de R$ 600 mil, já que o R$ 1,2 milhão citado no relatório refere-se a débitos e créditos na conta.

O salário de Queiroz na Alerj era de R$ 23 mil mensais. Mas o relatório do COAF mostra que Nathalia, a irmã Evelyn e a mãe Márcia, esposa do motorista, transferiram mais de R$ 95 mil reais para a conta do pai.

Queiroz depositou R$ 40 mil na conta da futura primeira dama, Michelle Bolsonaro. O presidente eleito diz que foi pagamento de um empréstimo e que recebeu o dinheiro na contada esposa por não ter tempo de ir ao banco.

Pegação no pé

Ainda não dá para apontar os culpados, evidentemente. Cabe cautela. Porém, é um fato que Fabrício precisa dar explicações bem coerentes para isso isso. 

Ao mesmo passo, a mídia está metendo o dedo na ferida. Faz isso porque a correlação de forças ficou bastante desequilibrada durante as eleições, já que Bolsonaro escolheu a mídia como um de seus alvos de ataques. 

É uma estratégia que tem funcionado na ascensão da direita populista, pois é uma reação natural à dominação dos meios de comunicação pela esquerda, em especial a esquerda identitária. 

É óbvio que a exploração do caso tende a ser ampla, principalmente pela alta pressão que Jair Bolsonaro gerou em torno de si pela luta contra a corrupção. 

Assim, uma coisa é uma suspeita lançada contra Renan Calheiros, que não fará ninguém focar a atenção. Outra coisa é lançar suspeitas sobre quem acabou de ser eleito sob o manto de lutador contra a corrupção.

Convém que Fabricio explique isso logo, e bem, para evitar exploração política. Caso contrário, a mídia opositora vai tentar equilibrar forças, como já está fazendo.

Detalhe: nesta análise técnica – padrão adotado por este blog desde seu retorno – não há mocinhos e bandidos na análise do jogo político. Existem oportunidades e brechas que cada lado vai aproveitar. Para evitar que seus adversários explorem brechas, cada lado vai ter de agir. 

E olhe que Bolsonaro se encontra em situação melhor que a de Trump em relação à mídia. Nos EUA, à exceção da Fox News, toda a mídia está contra o presidente. No Brasil, a maioria dos meios atua de forma opositora, mas alguns deles mostram clara simpatia. Mesmo assim, os que estarão contra vão aproveitar as brechas. 

Twitter: https://twitter.com/lucianoayan

Facebook: https://www.facebook.com/ceticismopoliticosc/

Anúncios

4 comentários em Mídia quer equilibrar forças no caso envolvendo ex-assessor

  1. Ayan,

    Muito mais grave do que a movimentação do assessor, é que um dos filhos comprou imóvel na planta em 2014 no Rio de Janeiro e vendeu pelo QUÁDRUPLO do valor em 2017!

    Vendeu mais de uma dezena de imóveis comerciais de forma extremamente rapida em pleno Rio de Janeiro, com lucro acima de 250% e para uma empresa com sócio em paraíso fiscal.

    Casos acima exatamente no período que os preços dos imóveis mais CAÍRAM no Rio de Janeiro!

    https://www.opovo.com.br/noticias/politica/2018/01/alem-da-politica-patrimonio-de-familia-bolsonaro-vem-de-negociacao-de.html

    Trecho:
    o político fez operações que envolviam 19 imóveis na zona sul do Rio de Janeiro e Barra. A maioria são sala de um prédio comercial, o Barra Prime. Todas foram vendidas para a MCA Participações, empresa que tem entre os sócios uma firma do Panamá.

    A empresa comprou as salas do político carioca em novembro de 2010, 45 dias após ele ter comprado 7 das 12 salas. Conforme registros, o político faturou R$ 300 mil com a transação.

    No ano de 2012, Flávio Bolsonaro comprou dois apartamentos no mesmo dia. Nas duas situações, os antigos donos venderam os imóveis com um desconto de no mínimo R$ 60 mil. O filho de Jair Bolsonaro lucraria, pouco mais de um ano depois, R$ 813 mil com a venda dos mesmos imóveis, uma valorização superior a 260%.

    Nas Laranjeiras, bairro do Rio de Janeiro, Flávio teve um ganho parecido. Ele comprou um imóvel na planta, que declarou à Justiça Eleitoral em 2014, por R$ 565,8 mil. Ele informou há dois anos atrás, em 2016, o preço de R$ 846 mil. No fim daquele ano, o imóvel foi registrado em escritura por R$ 1,7 milhão. Ele revendeu o prédio por R$ 2,4 milhões um ano depois.

  2. Já era de se esperar por isso, a mídia comprada não vai largar do pé de Bolsonaro, ate porque, ele já falou que vai acabar com as propagandas do governo, que rende milhões de reais por anos para as mídias compradas e dentre elas, a que mais vai perder verbas de propagandas do governo, será a Globolixo.

  3. Esse viado desse diegosausen resolveu vir aqui espalhar fake news, querendo lançar suspeitas sobre o filho do Capitão.
    Sua bicha enrustida, o Capitão Jair Bolsonaro é um homem ÍNTEGRO, de VALORES, que criou muito bem cada um de seus filhos para serem HOMENS. Se seu pai te criou como uma bichinha, não queira descontar sua frustração com fake news sobre homens de verdade, coisa que você nunca saberá o que é ser.
    Vá espalhar suas fake news de jornal esquerdista em outro lugar.
    Só terá espaço no Brasil quem respeitar o Presidente e você está desrespeitando.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: