Anúncios

Olavo ataca Pondé. Ou: a direita que perdeu a vergonha na cara

Um texto do Vox Brasilis mostra mais um ataque baixo de Olavo de Carvalho a um formador de opinião da direita.

O fato é que quando se estuda a moral pela ótica da dinâmica social, as coisas ficam mais claras.

Boa parte da direita brasileira de hoje tem moral pior que a dos petistas por ter normalizado comportamentos como este de Olavo, que só resolve as coisas pelas vias da intimidação há muito tempo.

Mas se as definições de “certo ou errado” são baseadas apenas na submissão (como na época medieval), logo o comportamento dessas pessoas não é nem um pouco confiável, já que os elementos calibradores da moral são muito restritos.

Em suma, não é que o pessoal não tenha moral, mas sim que tenha uma moral típica dos psicopatas. E não é que todos sejam psicopatas, mas sim que seu senso moral é calibrado por padrões que só seriam aceitos pela psicopatia.

Querem ver como a moral de boa parte da direita é podre? Raros sairão em defesa de Pondé diante de mais esta baixaria do Olavo. Alguns dirão: “mas estão com medo”. Sim, é verdade, para boa parte é isso mesmo. Mas aí essas pessoas terão que mentir para elas próprias para avançarem no comportamento social. Há uma justificativa para alguém ser imoral, mas não torna isso um comportamento moral.

Desde o começo das divergências com Olavo eu poderia ter entrado na espiral de fingimento e usado a tática de fingir que “não é nada” – e que só foi mais “uma mania de um sujeito excêntrico”, o que é puro teatro de gente hipócrita -, mas como poderia escrever sobre a moral na política se fizesse isso?

Também não é uma questão relacionada ao Olavo, mas a qualquer sistema moral que tenha sido construído somente na intimidação. Como a direita se submeteu por tanto tempo, o processo já é irreversível. Um governo fundado sob esta moral é assustador.

Foi este tipo de comportamento baixo (feito em público, e não em privado) que gerou políticos que chegam fazendo baixaria, feito Frota, e gente que resolve as coisas fazendo papelão no Twitter. Todos eles só esperam uma coisa: resolver as coisas pela intimidação e pelo medo. Que moral se constrói disto?

A moral da direita brasileira está se tornando a moral comunista.

Dizer que isso tem algo de conservadorismo é tratar os outros feito idiotas. Olavo se tornou um monstro moral e, pior, ensinou as pessoas a se submeterem a isso (e até elogiarem tais atitudes). O resultado está em discípulos, alguns deles com a moral apodrecida.

Algumas citações vindas do filósofo romeno Gabriel Liceanu explicam como o uso de mentiras se tornou sistematizado no comunismo. Como não poderia deixar de ser, a mentira, explica Liceanu, sendo insolente, atrevida, não se cansa de passar por verdade. Deve ser assumida como verdade por meio do terror. Muitos aceitam a mentira e alegremente a propaganda porque não tem saída. Isso leva a um cenário onde todo mundo finge crer naquilo que sabe ser falso. A mentira deixa de ser operacional no sentido do pensamento e da prática política tradicional.

Nesse cenário de gestão de impressões já difícil de controlar (e prever), a mentira toma uma originalidade sem precedente.

Evidentemente, falamos de um cenário de superação completa da moralidade. Mas estamos chegando no ponto onde isto também pode ser explicado pela dinâmica social. Mentir na política, principalmente quando sabemos que os alvos da mentira são seres humanos que podem ser prejudicados pela mentira, é a forma mais pura, mas não a única, do uso da imoralidade.

Leia mais:

[…] A mentira já não é imprevisível na sua forma, mas fundamental e repetitiva, mentira dita às claras e sistematizada como ideologia. É a mentira constante, monótona e bem articulada. O corpus de mentiras de que era composta a ideologia continha proposições (absurdas ou mentirosas) deste gênero: o comunismo suprime a desigualdade entre os homens, no comunismo cada um recebe segundo a necessidade, a economia socialista centralizada é superior à economia concorrencial do tipo liberal, no comunismo somos todos livres, os bens pertencem, na sociedade socialista, à classe trabalhadora […]

[…]Observemos que, reduzida a um conjunto de proposições fixas retomadas ao infinito, a mentira torna-se no comunismo padronizado, moldada, em divórcio com qualquer fantasia, inventividade, criatividade. É uma mentira formada de elementos batidos a prego [..]

[…] o mentiroso mente para aquele que lhe mentiu (fingindo que crê). Mas o mentiroso mente ainda uma vez quando, mentindo, finge que não sabe que aquele a quem se mentiu sabe que lhe foi dita uma mentira. Esta mentira infinita em espelhos, à medida que anula a mentira como “mentira verdadeira”, transforma esta em mentira coletiva: todo o mundo mente, à medida que alguns dizem mentiras, mas os outros, por não as denunciarem, deixam entender que as aceitam como verdades. […]

Depois querem apoio para um governo fundado nessa moral? Tem certeza? A troco de que? Quem defende em público a imoralidade quer apoio por que?

O melhor que eu posso fazer é ficar na minha, focado em meu conteúdo técnico e manter distância desse tipo de gente. Tenho amizade com várias pessoas que são obrigadas a fingir (pois morrem de medo), mas não preciso fingir “acreditar” (como explicou Liceanu) nas mentiras que essa tropa dizem o tempo todo.

Twitter: https://twitter.com/lucianoayan

Facebook: https://www.facebook.com/ceticismopoliticosc/

Anúncios

9 comentários em Olavo ataca Pondé. Ou: a direita que perdeu a vergonha na cara

  1. Entre Pondé e Olavo de Carvalho ficamos com o Olavo. Coerência continuada … parece na filosofia com o Bob Fields na economia. Esse, foi criticado e malhado ao extremo pelos esquerdistas e hoje se atesta que, tivessemos seguido seus conselhos seríamos nação mais feliz hoje.
    O artigo defende Pondé atacando Olavo e plantando premissas falsas … tipo artifício falso utilizado pelo Malba Tahan no seu livro Maravilhas da Matemática, se bem que com fins insidiosos enquanto aquele buscava despertar o interesse dos jovens pela ciência através de suas curiosidades.
    Não há limites para a mídia inescrupulosa, que pena!

    • Observem como Olavo de Carvalho é mentiroso e edita a história para maquiar as coisas.

      Para difamar o Pondé (e criar o mito de que Pondé só existiria por causa de Olavo) disse que o primeiro só entrou no jogo em 2010, com o livro “Contra do Mundo Melhor”.

      Mentira.

      Pondé escreveu “O homem insuficiente” em 2001, e o sensacional “Crítica e Profecia” em 2003.

      Escreveu “Conhecimento na desgraça” em 2004 e “Do pensamento no deserto” em 2009.

      Estão vendo como é que funciona a maquiagem da realidade para criar uma falsa imagem?

      Pondé não dependeu de Olavo para ser o que é.

      Mas o pessoal fica aceitando esse joguinho de intimidação e falsidades.

  2. mas o ponde mentiu tambem , disse que o olavo é um ilustre desconhecido que surgiu na campanha de bolsonaro

  3. Queria editar meu comentário

  4. Cala a boca, esquerdistas de merda! #OLulaTáPreso,Babaca!

  5. Mateus Emanuel de Freitas // 22 de janeiro de 2019 às 2:52 pm // Responder

    Não vi o vídeo do Olavo, mas até algumas semanas na pagina do olavo perguntaram pro olavo o que ele achava do Pondé e postaram um vídeo do Pondé tecendo criticas ao Olavo, Ayexan vc tem boas analises, mas quando se trata d criticas a alguém que diverge de vc, seus textos se tornam bem venenosos,

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: