Anúncios

Ex-aluno explica o COF. E é aquilo que você espera.

Com todo o respeito às quatro pessoas que deram entrevista à Época, não havia nestes entrevistados a assiduidade nas aulas do COF (Curso Online de Filosofia). Claro que havia um aluno entre os entrevistados, mas não era aquele que tinha ido a fundo.

Ao que parece, Olavo fez objeção sobre entrevistados da Revista Época. Se assim o é, melhor ler o que diz o ex-aluno Horacio Neiva, no Twitter, a respeito do COF, que garante ter ido profundamente no conteúdo:

Quem, como eu, viveu o período inicial do famigerado Curso Online de Filosofia do Olavo de Carvalho lembra qual era o sentimento que vigorava entre as pessoas que se inscreveram para participar.

O clima geral era de que estávamos participando de algo muito importante; de que éramos pessoas muito profundas e realistas e que o COF era o que separava as pessoas realmente inteligentes dos idiotas e militantes.

Obviamente – como vocês já devem ter percebido – saí disso e me recuperei. Mas a lembrança daquele tempo fica cada vez mais viva quando me lembro da ironia do destino: o movimento que ajudou a eleger Bolsonaro foi exposto pela… eleição do Bolsonaro.

Quem já passou pelo submundo olavette sabe que há uma ideia difusa de que ali estão as pessoas mais inteligentes, a futura “elite cultural”, as pessoas que vão resgatar e manter viva a “alta cultura”.

Tudo – seja textos ou o próprio Curso – contribui para esse sentimento. Olavo insistia sempre nas aulas que “vocês” irão resgatar a cultura brasileira; que “vocês” tem uma responsabilidade; que vocês devem fazer isso e aquilo.

E havia alguns procedimentos para incutir esse sentimento nos alunos: havia o voto de abstinência em matéria de opinião (segundo o qual nenhum aluno poderia opinar sobre um assunto até que tivesse dominado o – outra frase que o Olavo adorava – status quaestionis do problema).

Havia as preliminares ao estudo da filosofia (que praticamente nunca vem): tem que estudar latim; tem que estudar gramática, tem que ler os grandes livros da literatura universal e brasileira.

O resultado era um grupo de pessoas que realmente se sentia muitíssimo inteligente. Que se não era reconhecida era por conta de uma decisão deliberada de “ficar calado e estudar”.

Mas vejam que engraçado: esse grupo, que se vendia entre seus pares como muito inteligente e erudito, não aguentou um mês de exposição pública. Notinha do MEC com erro de português, plágio, falta de conteúdo, conspirações comunistas — e só.

Na prática, são pessoas com pouco estudo se deslumbrando com pessoas com um pouquinho mais de estudo. Tudo isso combinado com uma empáfia copiada do próprio Olavo que gera um sentimento de autoafirmação (e até orgulho) intelectual.

É, de algum modo, o sentimento do “outsider intelectual”, do sujeito que está lá, fora dos grandes círculos, se preparando para chegar na arena pública botando pra quebrar. Mas nunca chegam.

Ou pior: quando chegam é para passar vergonha. É para repetir o mesmo discurso pseudofilosófico com doses conspiracionistas que o Olavo já fazia nos anos 2000.

O mais impressionante de quem conhece esse movimento todo é que não há nunca nada de novo. Todo mundo que chega botando banca só está copiando algo que o Olavo já falou ou escreveu.

O que é outro traço comum dos participantes: citar autores que o Olavo citou como se tivesse lido e estudado aquilo (muitas vezes, nem o Olavo leu ou estudou aquilo).

Concluindo: se é verdade que “pelos frutos conhecereis” (frase que o Olavo adorava) o seu projeto pedagógico é um fracasso. Um monte de iletrados, metidos e que vivem de simplesmente copiar as referências e até o estilo do mestre – e só.

O COF foi um grande núcleo de formação de militantes. A erudição que prometeu foi só uma maquiagem assim para disfarçar a ignorância e burrice de pessoas que hoje chegaram ao poder. FIM.

Aliás, já teve adepto de Olavo atacando-o, mas está difícil respondê-lo. Agora o ideal é abrir o conteúdo do COF ao escrutínio, de acordo com as afirmações de Neiva. Ao avaliar a estrutura de sentimentos supostamente habilitada por Olavo, a conversa fica bem mais séria.

E aí, será que Olavo toparia esse tipo de escrutínio? Como diria o ceguinho esperançoso, veremos.

Twitter: https://twitter.com/lucianoayan

Facebook: https://www.facebook.com/ceticismopoliticosc/

Anúncios

14 comentários em Ex-aluno explica o COF. E é aquilo que você espera.

  1. Só se leva o astrólogo lelé da cuca e decrépito que for analfabeto político que nunca teve estudos. Quem fez universidade, quem estuda jamais vai cair no conto desse charlatão imbecil.

  2. Aristóteles já dizia que que os vícios de comportamento bloqueavam a inteligência e deixavam o indivíduo suscetível a ideologias. Eu nunca tinha pensado no orgulho como vício motor, mas pensando bem faz todo o sentido.

  3. “O que é outro traço comum dos participantes: citar autores que o Olavo citou como se tivesse lido e estudado aquilo (muitas vezes, nem o Olavo leu ou estudou aquilo).”. Por exemplo, aquele perdedor do Luís Boça da extrema direita o Flávio Azambuja Martins vulgo Morgenstern, sempre costuma citar trocentos nomes de autores desconhecidos do grande público para se passar por intelectual. O pior é que muita gente leva esse animal a sério, acreditam que o Flávio seja um “intelectual” como é o seu mestre charlatão e vigarista Olavo de Carvalho. O Azambuja também sofre do mesmo mal que o astrólogo gagá: o narcisismo! Ele se acha, e se por uma acaso você discordar dele sobretudo em relação à tese absurda de que o nazismo era de esquerda, ele irá zombar de você, vir com piadinhas maldosas e infantis de quinta série e chamar a turba que o defende para te insultar no twitter ou no facebook. Além do mais o Azambunda digo Azambuja Martins sequer cita qualquer frase desses autores. Já perguntaram para ele alguma frase de alguns dos autores desconhecidos que ele cita, o imbecil simplesmente desconversou e caiu fora. E isso sem contar que o Morgenstern é o principal responsável em subir as hashtags atacando a esquerda no twitter. Esse imbecil foi merecidamente processado pelo Caetano Veloso e se ferrou legal! Bem feito, quem dera se outras pessoas fizessem isso com esses neonazistas tupiniquins. Chegou a hora do jogo virar, chegou a hora desses neonazistas covardes serem desmascarados. E só mais um adendo: Morgenstern em alemão significa: estrela da manhã. Quer dizer, o imbecil sente vergonha do próprio sobrenome dele, sofre de síndrome de vira latismo e foi buscar um nome alemão porque acha que tem mais status. Mas isso é de se esperar da extrema direita, eles desprezam a cultura brasileira e os nossos heróis como Santos Dumont. Aquele outro charlatão o Leandro Narlouco digo Narloch no seu livro “Guia Politicamente Incorreto” desfaz e zomba do Santos Dumont afirmando que não foi ele quem criou o avião, que o Dumont era um canastrão e segundo o conceito tosco do Narlouco, ele é idolatrado por causa do “politicamente correto”. Sinceramente, passou da hora dessa gente ir para o hospício, nunca vi tanta gente com ódio, parecem zumbis repetindo as asneiras do velho decrépito do Olavo.

  4. O que é mais marcante, para mim, nos alunos/seguidores é o mimetismo e a incapacidade de lidar com o contraditório.

    Quando me deparo com um artigo na internet com viés conservador e vejo um “mutatis mutandis” no meio do texto já penso: aposto que é aluno/seguidor do Olavo. 😀

    Um dos mais conhecidos alunos é o Filipe G. Martins, hoje no MRE do gov. Bolsonaro. O Rodrigo Constantino, ano passado, até zombou da linha “jihadista” que o dito cujo queria dar à greve dos caminhoneiros — ele imitava até o jeito do mestre de escrever! Muitos dos olavianos viam na greve uma espécie de “revolução conservadora” – o que é uma clara contradição em termos -, contra o tal “estamento burocrático”. Hoje estamos vendo a “Nova Era” no lugar do “estamento burocrático”, com suas “rachadinhas” com “motorista”, filho do VP promovido, entre outros…

    Pois é Luciano, eu me desintoxiquei. Nunca fui “aluno” do COF, mas fui leitor e admirador do Olavo por um bom tempo. No entanto, logo percebi que seguir o OC nas redes sociais era praticamente impossível: teorias conspiratórias, exageros, incapacidade de aceitar discordâncias, xingamentos e bajulação descarada dos outros seguidores… Fora os relatos e histórias que você relatou aqui.

    • Um fato que me deixou muito puto com a greve dos caminhoneiros, foi ver aqueles velhacos geriátricos que clamam por intervenção militar, terem intimidado vários caminhoneiros para que eles abraçassem a causa ridícula e patética deles. E foi o que mais se viu, eram carretas e mais carretas com a nossa bandeira ridícula do Brasil e pedidos de intervenção militar. E todos eles, adivinhe, fãs do astrólogo geriátrico e retardado mental. No final, aquela manifestação dos caminhoneiros acabou se tornando apenas uma manifestação dos cancervadores que enxergam comunismo em todo lugar. E prejudicaram a vida de milhares de pessoas por causa de uma paranóia doentia.

  5. Perfeito. Perfeito. Perfeito. Perfeito.

  6. Não pra mudar o assunto não , deixa o Olavo pra lá

  7. É facil dizer se Olavo está certo ou errado, se os livros e as referências bibliográficas são engodos basta acessar os diversos links que dão acesso às aulas e estudá-los. Depois disso criar juízos de seus estudos. Várias pessoas passam pelo curso, mas se um e outro falam contra o curso, pronto, acabou tudo.

  8. Tem uns comentários estranhos aqui. Chamar o velho de neocon até vai (já faz tempo que ele nem disfarça mais, e a tendência é que piore), mas tem comentário aqui dizendo que a bandeira do Brasil é ridícula, que o Morgenstern (católico e que sempre puxa sardinha pros Judeus nos podcasts) é neonazista. Cadê a moderação, Luciano? Tá deixando as baratas esquerdistas ocuparem o espaço de um blog que sempre foi de direita, é?

  9. Sempre gostei de teu blog. Foi lendo-te que aprendi que isso é mais ula referência anedótica vergonhosa, pra iludir analfabeto, ou quem brigou com Olavo, que é teu caso.
    Vamos ver com quem é assíduo ao COF o que se diz.
    Ridículo o que você fez nesse texto. Parece até um jornalista de extrema-esquerda, fazendo fofoquinha.
    Espero que perca menos tempo com textos pra deteriorar a imagem de alguém que você mesmo recomendou há poucos anos. Seu trabalho é muito bom, mas pra criticar Olavo, a qualidade é horrível.

    • Fique tranquilo, Judson Rocha, pois ainda será apresentado um relatório detalhado (e que já está pronto, mas sob revisão) que torna esse relato fichinha. Os componentes estão todos lá. Há uma série de vieses da mente explorados. Tem muito mais.

  10. Cuidado para não darem razão ao neolulista RA: “Direita burra e xucra!”

Deixe uma resposta para Rafael Cancelar resposta

%d blogueiros gostam disto: