Anúncios

Chegou a hora da direita “passa pano” para milícia virtual

Serei paternalista com o Xico Graziano aqui. Logo, vou dizer que ele “se enganou” ou disse algo sobre o qual “não refletiu direito”. Melhor do que adotar a postura crítica e chamá-lo de desonesto.

Assim sendo, sigamos no filtro de que ele talvez “se enganou”.

Seja lá como for, observe o post dele no Twitter:

Espere aí, vamos com calma.

Um sujeito e vários de seus adeptos assassinam a reputação de generais que contavam com alta reputação. E daí, depois da coleta do capital político pelos linchadores… Jair Bolsonaro “determina que parem”.

Isso é de uma cara de pau assustadora.

Se a moda pega, aí fica fácil a vida dos linchadores virtuais: basta bater à vontade e, quando o capital politico coletado chega ao máximo, contar com um líder para dizer aos agredidos: “agora se calem”.

Esse tipo de atitude é coisa de boca do lixo, não de pessoas decentes. As palavras de Xico Graziano são até sádicas.

Em tempo: é normal, nas relações sociais sadias, que existam exigências mútuas por respeito. Não é preciso ler Hegel para entender a dialética entre mestre e escravo.

O que Graziano propõe só seria factível se existissem neuralizadores, que eram aquela tecnologia vista no filme MIB (Men in Black), pela qual os personagens apagavam as memórias das pessoas.

Reveja as cenas dos neuralizadores:

Sendo assim, as falas de Graziano são até ofensivas à inteligência. Se os danos foram causados, naturalmente haverá retaliação, em um momento ou em outro, pois é isso que mantém o senso de justiça nas sociedades.

Determinar momentos em que as pessoas começam a apanhar e até se podem ou não reagir é o cúmulo do autoritarismo e do desrespeito aos outros.

Twitter: https://twitter.com/lucianoayan

Facebook: https://www.facebook.com/ceticismopoliticosc/

Anúncios

1 comentário em Chegou a hora da direita “passa pano” para milícia virtual

  1. O maior passador de pano para as milícias virtuais é o próprio Jair Bolsonaro. E isso não é de hoje, não começou agora, já vem desde 2016, quando este blog aqui inclusive foi alvo pesado das milícias olavetes-bolsonaristas. Ainda assim, decidiu votar no projeto de poder deles. Deu no que deu.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: