Anúncios

Escória digital tenta avançar nova teoria da conspiração; veja o passo a passo

Se era só o que faltava, então agora não falta mais nada. Para completar a ironia bizarra e relação às milícias virtuais, agora observamos este grupelho decidir vir – do nada – em meu encalço a partir de uma teoria da conspiração. Detalhe que três dias atrás, no Twitter, eu já havia publicado o passo a passo de como se fazer uma teoria da conspiração.

Vejamos.

Passo a passo de como fazer uma teoria da conspiração

Ingredientes:

– Evento internacional anual;

– Participação de pessoas de mais países;

– Situação de baixo noticiamento pela mídia.

Definição da amplitude da teoria:  

Opções são (a) eventos, (b) sistêmicas, (c) super conspirações.

Sugerimos a opção (b), que inclui grandes conspirações, mas não tão complexas quanto a opção (c).

Definir fatos

Para a versão esquerdista, usar Foro de São Paulo. Para a versão direitista, usar Foro de Foz do Iguaçu. Ambos eventos devem existir. Outro fator importante é existir baixa quantidade de informação. Ou seja, esse é um segundo fator verdadeiro.

Alerta

Nunca crie teorias da conspiração só com mentiras. Por isso, ambas versões direitista e esquerdista terão dois fatos reais, que são (a) existência dos eventos, (b) situação com baixa quantidade de informação. Se colocar só mentiras no forno vai solar…

Tempero

Isso é o que faz a diferença. Uma vez que existam fatos reais, é preciso conectá-los com o “molho”, ou seja, as intenções malignas dos agentes. Quanto mais sordidez, maior é a “pimenta”. A ideia é conectar as intenções inventadas com os fatos.

Juntar tudo

Conecte os dois fatos reais com as intenções inventadas. Vamos usar 2 intenções inventadas e 1 adicional, conectada com um dos fatos reais. Isso vai valer para ambos os casos. O fato real será o baixo índice de notícias da mídia sobre o evento.

Montando o prato

f1 = evento que existe

f2 = mídia não noticia

i1 = grupo quer coordenar implementação maligna

i2 = grupo toma a decisão de gerenciar tudo

i3 = mídia escondeu a notícia por sordidez (conecta com f2)

No forno

Prato pro forno deve ser: O evento (x) ocorre, mas a mídia não noticia. Isso é porque o grupo quer coordenar implementação maligna, e toma a decisão de gerenciar tudo. É por isso que a mídia escondeu a notícia por sordidez. Dá para adicionar mais algo…

Toque do guru, ops, do chef

Incluir à teoria o seguinte: i4 = “É por isso que a mídia me perseguiu, mas eu trouxe a verdade para vocês”. Vale tanto para versão esquerdista (Foro de S. Paulo) como direitista (Foro de Foz do Iguaçu)

Pronto para servir

Prato inclui = f1+f2 com i1+i2+i3 com opção de usar i4 (a gosto do guru) Explorar vieses da mente como padronicidade, agencialidade, pensamento mágico e viés de atribuição hostil. Confiança prévia no guru ajuda.

Se alguém mostrar que é teoria da conspiração (sem provas), usar f1 e f2, que são fatos. Tipo: “Mas o evento não existe? Não é verdade que foi pouco noticiado?”. Geralmente passa com manteiga.

Como as milícias virtuais aplicam o método

Os leitores sabem que eu publiquei uma série de textos chamada A Arte da Seita Política (para a qual o último texto, de número 11, está para ser publicado, provavelmente neste final de semana). Igualmente, também fiz uma série de vídeos com Madeleine Lacsko, além de ter participado em uma entrevista em seu programa em 22/04.

Aqui está a participação em 22/04:

E aqui está o primeiro episódio de A Arte da Seita Política, da sexta-feira passada:

Eis que, de repente, diante deste fato (de minha extensiva colaboração a respeito dos padrões e métodos de seita política e de como isso influencia a ação das milícias virtuais), as milícias virtuais apareçam com uma nova teoria da conspiração.

Vejam um exemplo (de vários que já foram coletados e arquivados):

Por que isso?

Observemos os dois prints, a respeito de posts de Madeleine Lacsko, que estão sendo utilizados pelas milícias para dizer que “Luciano Ayan praticou doxxing contra um tal de Tariq”.

Print 01

Print 02

Agora, vejamos os fatos, junto com as intenções inventadas, para a teoria da conspiração:

  • F1 = Luciano Ayan colaborou a respeito de padrões de seitas políticas
  • F2 = Madeleine Lacsko mencionou essa colaboração

E agora as intenções inventadas pelos teóricos da conspiração:

  • I1 = Madeleine Lacsko teve a intenção de expor Luciano Ayan como o sujeito que fez o doxxing
  • I2 = Luciano Ayan teve a intenção de denunciar o Tariq “sei lá o quê”
  • I3 = Luciano Ayan agora tem a intenção de negar a denúncia óbvia que Madeleine fez

Assim, eles publicam uma coisa bizarra deste tipo: “Madeleine Lacsko mencionou a colaboração de Luciano Ayan e acabou entregando-o quanto à exposição de dados de Tariq. Enfim, descobrimos quem expos os dados de Tariq. Agora, não adianta negar, pois a confissão já foi feita por Madeleine”.

É deste jeito mesmo!

Seja lá como for, não sei praticamente nada deste caso do Tariq e nem é minha praia fazer este tipo de investigação sobre indivíduos. Eu investigo padrões para prever comportamentos. Geralmente quando alguém aparece com investigação sobre indivíduos em suas vidas privadas, eu recomendo: “Procurem um jornalista investigativo”. Mas nem isso foi feito neste caso.

Acessem o Twitter, que publicarei uma coleção de prints em breve com o mesmo tipo de narrativa, em padrão de maltas organizadas. Como é de se esperar, as ameaças mais graves virão de perfis ostensivamente fakes, até porque as partes mais selvagens dessas milícias virtuais são usuários que se escondem para cometer atos delituosos.

Agora temos um detalhe ainda mais irônico: quem foi que divulgou endereço com foto da residência de jornalista identificado como “inimigo”? Olavo de Carvalho, guru da maioria dessa ala extremista da direita.  https://www.diariodocentrodomundo.com.br/olavo-de-carvalho-guru-dos-bolsonaros-divulga-endereco-com-foto-de-jornalista-inimigo/

Que coisa não? Aqui não precisamos de nenhuma teoria. Apenas mostrar os fatos.

Enfim, temos gente da pior espécie, que topa tudo por suas ações políticas de baixo nível, apelando a teorias da conspiração na busca de incitar crimes contra outras pessoas.

Dica aos leitores: se isso ocorrer com vocês, não apenas façam os prints, como também arquivem, para envio às autoridades competentes.

Twitter: https://twitter.com/lucianoayan

Facebook: https://www.facebook.com/ceticismopoliticosc/

Anúncios

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: